segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Um sonho e uma realidade

Queria liberdade. Queria sair pelo mundo em buscas de novas histórias para que, quando envelhecer-se, contasse para seus netos suas aventuras desde as cordilheiras do Himalaia até o clima tropical da Austrália e dos Desertos escaldantes. Mesmo que não tivesse filhos e netos ela queria partir. Mas estava em uma jaula, acompanhada por leões. Leões aqueles que insistiam em vigiar cada movimento dela, cada passo, cada olhar. Que a impedia de realizar seu objetivo. Como gostaria de um chicote nessas horas, aprender a domar leões como nos circos que costumava ver. Não ao vivo e sim pela televisão. Umas chicotadas a acalmariam. Observou pela janela o céu infinito suspirando, imaginando histórias de quem iria conhecer e quantas culturas iria aprender deixando um sorriso escapar do seu rosto. Era tão surreal. Nunca havia posto um pé fora da sua jaula, mas isso não a impedia de sonhar. Pois o sonho era a janela para o futuro, um futuro próximo, uma utopia. A sua utopia.