segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Um sonho

 - Ei, eu posso lhe mostrar a verdade, é só vir comigo, criança. - Um voz grave falou coberta por um capuz negro, que impedia qualquer um de ver o rosto do ser, e estendia sua mão para a garota. Seria um homem ou um animal? Mas desde quando animais falavam? E desde quando animais tinham mãos? Em um piscar de olhos a mão estava se distanciando, a garota queria segurar a mão, queria saber a verdade, toda a verdade, mas não podia. Ela estava caindo e tudo estava girando ao seu redor. Via imagens, imagens borradas do seu passado, presente e talvez o futuro. Uma nova Alice em Wonderland, talvez. Mas quando tocou ao chão ela não viu uma porta e uma mesa...
Tocou a palmas as mãos em seus ouvidos e encostou as costas na parede sentindo seu corpo vibrar. Gritos agoniantes estavam sendo ouvidos pela garota. Ela não queria ouvir, queria fazer parar. Mas como parar? Gritou. Pareciam que era uma competição para ver quem soltava o grito mais alto, talvez assim ela fizesse eles pararem... Piscou os olhos por breves segundos e parou de gritar assim que o ar acabou. Tudo parou. Retirou as mãos dos ouvidos enquanto seus olhos que vazavam água percorriam por todo o quarto, não havia ninguém. Só a doce voz da solidão. 

"Eu não sou louco. Minha realidade é apenas diferente da sua. - Gato risonho"



Nenhum comentário:

Postar um comentário